facnopar

Prefeitura de Apucarana cobra Copel sobre quedas de energia

Ao longo deste ano, foram diversos episódios que deixaram bairros, indústrias, comércios e propriedades rurais sem energia por longos períodos.

Por redação em 04/12/2023 às 15:22:32
Divulgação/Prefeitura Apucarana

Divulgação/Prefeitura Apucarana

As constantes quedas de energia elétrica em Apucarana têm causado uma série de transtornos e prejuízos, nos últimos meses, a ponto de mobilizar a administração municipal, que está cobrando explicações da empresa concessionária dos serviços, a Copel.

Neste fim de semana, por exemplo, várias propriedades rurais localizadas na Serra de Apucarana (PR-170/Rodovia do Milho) ficaram sem energia elétrica entre sexta e domingo, totalizando 50 horas. Uma das propriedades prejudicadas foi a Vinícola Casa Carnasciali, que ficou sem a prestação de serviço das 15 horas da sexta-feira até as 17 horas de domingo (04/12). O proprietário Rogério Carnasciali, que explora o turismo o rural reclama do atendimento da Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel).

Segundo o empreendedor, ao longo de todo o final de semana foram vários contatos solicitando o restabelecimento do serviço, sem o devido respaldo da fornecedora. "Após o primeiro chamado, uma equipe de averiguação chegou à região apenas 22 horas depois. Não conseguimos falar com ninguém, apenas via aplicativo. Um descaso da Copel com esta região turística e com os produtores rurais que estão perdendo produção por falta de irrigação", diz o Carnasciali.

Ele relata que devido à falta de energia muitos hóspedes da vinícola voltaram para casa. "Os clientes agendados para a "Sunset" não vieram. No domingo, um dos principais atrativos da vinícola também precisou ser cancelado. Todos os almoços, que estavam agendados, foram cancelados. Pessoas de toda a região que aguardavam há tempo para vir aqui e tivemos que desmarcar tudo. Lamentável, o empresário investe e não tem suporte de infraestrutura básica. Um prejuízo realmente enorme, justamente no mês onde precisamos pagar décimo de terceiro e fornecedores", critica Carnaciali, que estuda acionar a companhia de energia elétrica na justiça para ressarcimento de prejuízos.

"Tem sido um problema recorrente. Há duas semanas ficamos umas 12 horas sem energia", relata. Ainda de acordo com Carnasciali, para evitar mais prejuízos a vinícola acabou alugando três geradores de energia movidos a combustível. "Alugamos três máquinas para podermos ao menos manter parte da nossa programação. Afinal também temos um compromisso com nossos clientes, que precisam sempre agendar previamente a vinda até aqui", comenta.

O prefeito Junior da Femac foi procurado pelo empresário Rogério Carnasciali, proprietário da Vinícola Casa Carnasciali e também por proprietários rurais da região da Serra de Apucarana. Eles pediram a imediata intervenção da prefeitura para agilizar o restabelecimento da energia elétrica na região.

Ele considerou a situação muito complicada. "Foram cerca de 50 horas, ou seja, dois dias sem energia elétrica, gerando a perda de alimentos, gastos com aluguel de geradores e muitos transtornos. Consideramos que houve danos na rede da Copel devido à queda de árvores, mas o serviço e o restabelecimento do sistema poderia ter sido mais rápido", lamentou Junior da Femac, que relata ainda muitas cobranças à prefeitura devido a constantes quedas de energia, inclusive na área central de Apucarana. O prefeito disse que está mantendo contato com dirigentes da Copel, em Curitiba.

A gerência local da Companhia de Energia Elétrica (Copel) afirma que a queda de energia elétrica na região da Serra de Apucarana foi ocasionada por rompimentos de cabos devido à queda de árvores e que mais detalhes da ocorrência serão repassadas até o final da tarde, via assessoria de comunicação.

Fonte: Prefeitura Municipal de Apucarana

Comunicar erro
#001

Comentários

Anuncie 5